Dislipidemia

Dislipidemia é chamado o aumento dos lipídios (gordura) no sangue, principalmente do colesterol e dos triglicerídeos. Para o transporte de gorduras dentro do corpo é utilizado uma molécula de gordura e uma de proteína, a lipoproteína.

O LDL colesterol (lipoproteína de baixa densidade), do inglês, Low Density Lipoprotein, é conhecida como colesterol ruim, que transporta o colesterol do fígado para o sangue e tecidos. O HDL colesterol (lipoproteína de alta densidade), do inglês High Density Lipoprotein, é conhecido como o bom colesterol porque remove o excesso de colesterol e traz de volta ao fígado onde será eliminado. Quando o LDL está em excesso no sangue, provoca uma inflamação nos vasos e se deposita na parede, formando as placas de gordura (aterosclerose). Esse é um fator que aumenta os riscos de angina, infartos e AVC.

Os triglicerídeos são um dos componentes gordurosos do sangue e sua elevação está relacionada, também com as doenças cardiovasculares, cerebrovasculares e doenças digestivas (pancreatite).

Causas

Existem as dislipidemias primárias, decorrentes de heranças genéticas e as secundárias que são ocasionadas por doenças, medicamentos ou alimentação abundante em gordura e açúcar. Os ácidos graxos saturados de origem animal (carnes vermelhas gordas, ovos, manteiga, queijos amarelos) e as gorduras trans (presente nas margarinas vegetais, biscoitos, bolos e outros doces) elevam os níveis de colesterol ruim (LDL) no sangue e podem também diminuir o colesterol bom (HDL).

Diagnóstico

O diagnóstico da dislipidemia é feito através de exames laboratoriais medindo-se os níveis no sangue de colesterol total, LDL, HDL e triglicerídeos, após um jejum de 12 horas.

É recomendado a investigação de outras doenças que podem provocar distúrbios do colesterol e triglicerídeos como o Hipotireoidismo, Insuficiência Renal Crônica (aumento dos triglicerídeos), Obesidade (aumento dos triglicerídeos e redução de HDL), Fumo (reduz HDL e oxida o LDL), Alcoolismo (aumento dos triglicerídeos), Diabetes mellitus (aumenta triglicerídeos e diminui HDL).

Os principais medicamentos relacionados com dislipidemia são: diuréticos tiazídicos e betabloqueadores (usados no tratamento de hipertensão), corticóides (ex: prednisona) e estrógenos (anticoncepcionais e reposição hormonal).

Tratamento

O mais importante no tratamento da dislipidemia são as mudanças no estilo de vida como a prática regular de atividades físicas e dieta saudável. Uma dieta com muita gordura, colesterol, excesso de calorias e poucas fibras é o que mais eleva valores de colesterol e triglicérides.

Para diminuir o colesterol na alimentação deve-se evitar o leite integral e seus derivados (queijos amarelos e gordos, manteiga, nata, creme de leite, requeijão), leite condensado, salgadinhos, frituras em geral, vísceras (fígado, rins, coração, miúdos, miolo), cremes e molhos, embutidos (salsicha, salsichão, linguiça, salame, presunto, mortadela) carne de porco (bacon, banha), carne vermelha gorda, alimentos ricos em gordura hidrogenada (maionese, sorvetes, tortas, chocolates, pudins, croissant, bolachas recheadas, gema de ovo, pele de aves, óleo de palma e de coco.

Prefira consumir alimentos cozidos, assados ou grelhados, alimentos ricos em fibras (legumes, verduras, frutas, farelo de aveia, feijão, ervilha, lentilha, aveia, pão e arroz integrais), leite desnatado e derivado (queijo minas branco, ricota, iogurtes light etc.), carne de peixes e aves sem a pele, carne vermelha magra (sem gordura), clara de ovo, óleos vegetais (milho, algodão, arroz, girassol, soja, canola, oliva), nozes, amêndoas e castanhas.

Em casos específicos será necessário adicionar o tratamento medicamentoso para manter os níveis lipídicos dentro das metas estabelecidas e assim a prevenção de doenças.

Dra. Fabiana Paoli

Graduada em medicina, formada em 2005, cursou o programa de Residência em Clínica Médica no Hospital do Servidor Público Municipal no período de 2008 a 2010. Fez sua especialização em Endocrinologia no Hospital Ipiranga de 2010 a 2012. No mesmo ano, obteve o Título de Especialista em Endocrinologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Pós graduada em Nutrologia pela ABRAN - Associação Brasileira de Nutrologia em 2014.