Emagrecimento

O aumento de peso da população é uma realidade preocupante pois os números são maiores a cada ano; por ser um problema difícil de combater e que envolve múltiplos fatores, as pessoas em geral não sabem por onde começar.

Essa dificuldade no tratamento leva à procura de soluções “milagrosas” que por muitas vezes são perigosas e não tratam de forma eficaz e duradoura. O tratamento adequado envolve orientações nutricionais, de prática de atividades físicas e o acompanhamento médico por tempo prolongado, geralmente entre 1 a 2 anos, para que o processo seja sólido e seguro.

Depois de bem orientado sobre a alimentação e exercícios adequados, de realizado exames para descartar que o aumento de peso seja decorrente de alguma doença, o paciente será avaliado sobre a necessidade de terapia medicamentosa ou cirúrgica.

Existem diversas medicações para o tratamento de obesidade, sendo que cada uma age de forma diferente da outra e, portanto, as indicações também serão diferentes. Cada caso deve ser cuidadosamente avaliado e diagnosticado para que a medicação escolhida seja eficiente. Nunca deve-se utilizar um tratamento indicado para um familiar ou amigo, porque o motivo pelo qual engordou pode ser totalmente diferente do seu, além de outro ponto importante que se refere às contraindicações que devem ser descartadas antes do início terapêutico.

A cirurgia para o tratamento da obesidade é uma opção interessante para aqueles que após algum tempo de acompanhamento não obtiveram resultados, seria portanto, última opção terapêutica. É eficaz na maioria dos casos e deve ter acompanhamento a longo prazo no pós-operatório.

Dra. Fabiana Paoli

Graduada em medicina, formada em 2005, cursou o programa de Residência em Clínica Médica no Hospital do Servidor Público Municipal no período de 2008 a 2010. Fez sua especialização em Endocrinologia no Hospital Ipiranga de 2010 a 2012. No mesmo ano, obteve o Título de Especialista em Endocrinologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Pós graduada em Nutrologia pela ABRAN - Associação Brasileira de Nutrologia em 2014.