Orientações do trabalho de parto

Texto elaborado pela fisioterapeuta Thiciane Vieira Batista e Dra Fernanda Paoli

 

Exercícios para GESTANTES durante o Pré-natal

O assoalho pélvico é uma estrutura composta por músculos, fáscias, ligamentos e ossos (ossos do quadril, sacro, cóccix e púbis). Esta estrutura tem como função proteger os órgãos internos da mulher, manter continência urinária e fecal e suportar o impacto das relações sexuais.

Na gestação tem por função sustentar a placenta e o bebê. Para suportar o crescimento e o peso do bebê que vai aumentando com o passar dos meses, é de extrema importância que durante o pré-natal a gestante realize alguns exercícios para fortalecer essa musculatura e como benefício extra preparar o corpo para a hora do parto.

Entre os benefícios que o exercício pode trazer para a gestante estão evitar a incontinência urinária após o parto, sustentar o feto durante a gestação, preparar a musculatura abdominal para as contrações e vaginal para a passagem do bebê.

Com as mãos e os joelhos no chão a gestante deve fazer uma contração como se fizesse força para segurar a urina, deve-se manter essa contração por 5 segundos. O exercício deve ser repetido 5 vezes. O ideal é realizar 3 séries ao dia: pela manhã, tarde e noite. A prática deste exercício ajuda a posicionar o bebê corretamente e a fortalecer a musculatura vaginal.

Deitada de costas, contraia o bumbum e eleve-o enquanto inspira. Volte lentamente a posição inicial encostando primeiro a parte de cima das costas e depois a de baixo durante uma expiração lenta pela boca. Repetir este exercício 5 vezes ao dia. Este exercício ajuda a evitar dores nas costas, dores no nervo ciático (quadril), além de diminuir os riscos de parto prematuro.

O Agachamento só está indicado para gestantes que já completaram os nove meses de gestação e estão aguardando parto normal. Este exercício utiliza a força da gravidade para facilitar o “encaixe” do feto. Também fortalece a musculatura pélvica permitindo maior eficiência do músculo para expulsar o bebê na hora do parto. Comece o exercício em pé, com os pés um pouco afastados, a coluna deve estar reta e o olhar para a frente. Flexione os joelhos e projete o quadril para baixo. Use um apoio para ter maior equilíbrio.

A atividade sexual quando confortável para a paciente, facilita o início do trabalho de parto, já que algumas substâncias que provocam contrações uterinas estão presentes no sêmem do homem. A posição mais indicada para manter relação sexual aos nove meses de gestação é de “conchinha”.

 

Auxílio a gestante durante o trabalho de parto

A chegada do bebê é um momento mágico para toda mulher. O parto normal vem acompanhado sempre de muita ansiedade, desconforto e nervosismo. Atualmente é possível ter um trabalho de parto tranquilo e com o mínimo de dor. Algumas medidas podem aliviar as contrações, o desconforto e a ansiedade, além de acelerar o processo de dilatação do colo uterino para a passagem do bebê. Profissionais especializados podem ajudar a gestante no processo do parto normal garantindo conforto e tranquilidade. Veja a seguir alguns recursos que podem ser utilizados no processo do parto normal, tornando esse momento mais prazeroso e confortável.

A gestante deve adotar a posição mais confortável possível e de preferência com a participação do parceiro que pode acalmá-la e massageá-la. Deve-se evitar ficar deitada, já que caminhar acelera o processo do parto.

Água quente ajuda a relaxar o períneo facilitando a dilatação e diminuindo a dor, por este motivo banhos de imersão são utilizados no trabalho de parto.

Aparelhos como a bola e o cavalinho também podem ser utilizados para o relaxamento do períneo.

Para finalizar, no momento oportuno é possível realizar a analgesia de parto. Diminuindo consideravelmente as dores causadas pelas contrações.

Dra. Fernanda Rosa Delli Paoli

Graduada em medicina, formada em 2006, cursou o programa de Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital Pérola Byington no período de 2007 a 2009. Fez Pós-graduação em Oncologia Pélvica pelo Hospital Pérola Byington, em 2010. Realizou especialização em Patologia do Trato Genital Inferior (PTGI) pela Faculdade de Medicina do ABC e pela Faculdade de medicina da USP. Completou sua especialização com Pós-graduação em Sexualidade Humana pela Faculdade de medicina da USP. Em 2012 obteve o Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela FEBRASGO e, em 2013, conquistou Título em PTGI e Sexualidade pela mesma sociedade.